FANDOM


CID10 - A06.0 - Disenteria amebiana aguda; A06.1 - Amebíase intestinal crônica; A06.2 - Colite amebiana não disentérica; A06.3 - Ameboma intestinal; A06.4 - Abcesso amebiano do fígado; A06.5 - Abcesso amebiano do pulmão; A06.6 - Abcesso amebiano do cérebro; A06.7 - Amebíase cutânea; A06.8 - Infecção amebiana de outras localizações; A06.9 - Amebíase não especificada.

IntroduçãoEditar

A amebíase é uma doença infecciosa de amplo espectro clínico, causada pela ameba Entamoeba histolytica, podendo apresentar-se nas formas intestinal aguda ou crônica. Complicações extraintestinais como abcesso hepático, ameboma, amebíase pleuropulmonar, pericardite, envolvimento cerebral, pele ou genitais podem ocorrer nos pacientes com infecção intestinal sintomática ou não e são importantes causas de morbimortalidade.

Agente etiológicoEditar

A E. histolytica é um protozoário da classe Rhizopoda, família Entamoebidae, gênero entamoeba, que engloba
3026939361 378fe48ab4.jpg

Entamoeba histolytica - fonte: dayanneparasitologia.blogspot.com

outras espécies não patogênicas (díspar, polecki, coli, gingivalis). Morfologicamente, a E. díspar é indistinguível da histolytica, e é dez vezes mais frequente em pacientes assintomáticos de áreas endêmicas. O ciclo de vida da E. histolytica envolve três formas: trofozoítas, pré-cistos e cistos. Os cistos são as formas infectantes e podem ser veiculados por água, alimentos ou mãos contaminadas por fezes e após sua ingestão há o início do ciclo no hospedeiro. Se houver diarréia os trofozoítos são eliminados nas fezes, e se o trânsito intestinal estiver normal os cistos e pré-cistos são eliminados, ocorrendo então a infecção de outros hospedeiros.

EpidemiologiaEditar

A amebíase é doença de distribuição mundial, porém mais prevalente e mais grave nas áreas tropicais. A doença invasiva é mais comum no México, partes da América do Sul, oeste e sul da África, subcontinente Indiano, meio oeste e sudeste da Ásia. Está nitidamente relacionada à condições sanitárias e de higiene prejudicadas, e a infecção se dá pessoa-pessoa ou através de água e alimentos contaminados. Insetos como moscas e baratas podem veicular os cistos e contribuir com a contaminação.

PatogêneseEditar

Após a ingestão dos cistos de E. histolytica, eles ultrapassam a barreira gástrica e transformam-se em trofozoítas na luz intestinal, os quais passam a multiplicar-se, principalmente ao nível cecal. Os trofozoítas, que possuem avidez pelo Ferro, aderem à mucosa colônica, provocando citólise e formação de úlceras, expondo vasos sanguíneos e causando sangramentos de graus variados. O acesso aos capilares pode determinar disseminação para o fígado ou outros sítios extraintestinais. O estado constante de inflamação da mucosa intestinal estimula a diarréia característica da forma intestinal sintomática.

Quadro ClínicoEditar

As manifestações clínicas dependem da patogenicidade da cepa envolvida, da intensidade da infecção, da microbiota bacteriana local, da extensão dos órgãos envolvidos e de fatores relacionados ao hospedeiro.

Amebíase intestinalEditar

Forma assintomáticaEditar

A maioria das infecções por E. histolytica é diagnosticada por encontro ocasional de cistos nas fezes. Pode evoluir para a forma sintomática ou resolver-se espontaneamente em meses.

Forma sintomáticaEditar

Amebíase Intestinal Não Disentérica - há alternância entre diarréira e constipação, flatulência, dor em baixo ventre tipo cólica, perda de peso e anorexia. Pode ser confundida com doença inflamatória intestinal, devendo-se realizar exame parasitológico de fezes e sorologia para esta condição, antes do início da terapia corticoesteróide, a qual pode complicar o quadro de amebíase.

Colite Amebiana Aguda - tem início súbito, com período de incubação de sete a vinte e um dias. O paciente apresenta-se com dor abdominal tipo cólica, de forte intesidade, acompanhada de febre, calafrios, prostração, náuseas, cefaléia e tenesmo. A diarréia é líquida, mucosanguinolenta, que pode levar à desidratação. O hemograma revela leucocitose com neutrofilia. A pesquisa de sangue nas fezes é invariavelmente positiva. A Colite Fulminante é infrequente, mas pode ocorrer em desnutridos, gestantes, usuários de corticóides (motivo pelo qual não deve-se iniciar corticoterapia antes de confirmar doença inflamatória intestinal) e crianças menores de 2 anos. Esses pacientes apresentam, além dos sintomas tradicionais, hipotensão e sinais de irritação peritonial. Deve ser diferenciada de shigelose, campilobacteriose, enterocolite por salmonela e E. coli, e outras doenças como doença inflamatória intestinal, colite isquêmica e diverticulite. O diagnóstico se dá por pesquisa de trofozoítas e antígenos amebianos nas fezes.

Megacólon tóxico - ocorre em menos de 0,5% dos casos, geralmente associado ao uso de corticóides. Tratamento consiste em colectomia na maioria das vezes.

Ameboma - apresenta-se como lesão anelar, simulando carcinoma de cólon ou como massa palpável dolorosa em ceco ou cólon ascendente. Deve ser distinguido de carcinoma e linfoma intestinal, tuberculose e infecções causadas por Yersinia.

Amebíase extraintestinalEditar

Abcesso hepáticoEditar

É a forma mais comum de amebíase extraintestinal, decorrente da invasão do fígado por trofozoítos através do sistema porta. A maioria das vezes é abcesso único e acomete o lobo direito. Pode ser agudo ou insidioso com febre e dor abdominal constante.

A tríade clássica de febre, dor em hipocôndrio direito e leucocitose deve sempre levantar a hipótese de abcesso hepático.

Ao exame físico, o fígado está aumentado de volume, sendo doloroso à palpação e à percussão (sinal de Torres-Homem). Pode cursar com anemia normocrômica e normocítica, leucocitose neutrofílica com desvio à esquerda e elevação da velocidade de hemossedimentação. Há aumento da fosfatase alcalina e gama-GT, porém raramente há elevação das transaminases ou bilirrubina. O EPF revela pouco a presença do parasita, sendo mais sensível nesse caso, a cultura e pesquisa de antígenos.

A radiografia de tórax pode mostrar a típica elevação da hemicúpula diafragmática direita e, caso não seja tratado, o abcesso pode romper para a cavidade pleural.

O diagnóstico pode ser dado pela ultrassonografia de abdome em mais de 90% dos casos, porém os exames de imagem não diferenciam abcessos amebianos, abcessos piogênicos e tumores. A detecção de anticorpos no sangue, imunofuorescência ou ELISA, são úteis nessa diferenciação. A aspiração transcutânea do abcesso guiada por ultrassonografia é mais um recurso terapêutico do que diagnóstico e no abcesso amebiano, o material aspirado é achocolatado ou acinzentado, mas pode ser também amarelado ou esbranquiçado, inodoro e estéril.

Amebíase pleuropulmonarEditar

É a complicação mais comum do abcesso hepático, caracterizando-se por dor torácica, tosse não produtiva ou com esputo achocolatado, dispnéia, febre com calafrios e leucocitose. A rotura pode ocorrer, formando empiema pleural. É possível também ocorrer fístula hepatobrônquica com eliminação de esputo necrótico, rico em parasitas.

Outras formas clínicasEditar

Perfuração intestinal, peritonite, apendicite, amebíase cutânea, pericardite e abcesso cerebral podem ocorrer em menor frequência.

DiagnósticoEditar

Além das características clínicas, o diagnóstico laboratorial pode ser feito através de:

EPF - detecção dos parasitas nas fezes. Recomenda-se três amostras de fezes em dias alternados para aumentar a sensibilidade do teste.

Detecção de antígenos de ameba nas fezes - testes imunoenzimáticos (ELISA) e os que usam anticorpos monoclonais.

Detecção de DNA dos parasitas por PCR

Retossigmoidoscopia / colonoscopia - biópsias da borda da úlcera demonstrando lesões tipicamente amebianas.

Testes sorológicos - são úteis no diagnóstico etiológico da amebíase invasiva.

TratamentoEditar

Os amebicidas de ação luminal são indicados para amebíase intestinal. Já os que possuem ação tissular devem ser indicados para as formas invasivas associados a outro de ação luminal.

Drogas de ação luminalEditar

Derivados da dicloroacetamida - são poucos absorvidos por via oral, tem ação contra cistos e trofozoítas. Apresentam poucos efeitos adversos.

Teclozan (Falmonox) - pouca absorção, agindo principalmente no intestino grosso. A dose no adulto é 1,5g em dose única ou fracionada em 3 vezes durante 24 horas, por via oral. Em crianças 50mg 2 vezes ao dia durante 5 dias ou 5 vezes ao dia por 3 dias.

Etofamida (kitnos) - não sofre absorção por ingestão oral, sendo 100% eliminado nas fezes. A dose é de 100-200mg, 5 vezes ao dia por 3 dias, ou 500mg 2 vezes ao dia por 3 dias. Para crianças utiliza-se metade das doses.

Drogas de ação tissularEditar

Nitroimidazólicos (metronidazol, tinidazol e secnidazol) - essas drogas são absorvidas ao nível do intestino delgado e possuem ação rápida. Agem sobre trofozoítas e cistos, entretanto, sua ação nas formas intestinais não é boa pela sua baixa concentração no intestino grosso. Portanto, após o uso dessa medicação, deve-se empregar uma droga de ação luminal para erradicar completamente os cistos. Todos os compostos imidazólicos podem causar efeito "antabuse" se associados à ingesta de bebida alcóolica durante o tratamento e até 4 dias após a ingestão. Evitá-los no primeiro trimestre da gravidez.

  • Metronidazol: 500-750mg (50mg/kg/dia), via oral, de 8/8h, de 5 a 10 dias.
  • Tinidazol: 2g ao dia em tomada única ou fracionada a cada 12h por 2 a 3 dias.
  • Secnidazol: 2g em dose única para adultos, ou 30mg/dia/dia em crianças.

Derivados da emetina e cloroquina - raramente utilizados atualmente

PrevençãoEditar

Acesso universal à educação e saneamento básico. Lavagem adequada das mãos e alimentos, destino correto de dejetos, fervura e filtragem da água de beber e tratamento correto dos casos diagnosticados para reduzir a eliminação de cistos infectantes e novas infecções.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória