FANDOM


CID 100 = B77 – Ascaridíase; B77.0 – Ascaridíase com complicações intestinais; B77.8 – Ascaridíase com outras complicações; B77.9 – Ascaridíase não especificada.

IntroduçãoEditar

A ascaridíase é apontada como uma das mais importantes parasitoses intestinais, não só pela sua frequência, como também pelas complicações que pode acarretar.

Agente etiológicoEditar

220px-Ascaris lumbricoides.jpg

Ovo de ascaris lumbricoides - fonte: pt.wikipedia.org

O Ascaris lumbricoides, agente etiológico da doença, é um verme cilíndrico (Nemathelminthe) e chega a atingir 40 cm de comprimento. Todavia, apresentam em média 10 a 12 cm em indivíduos infectados. Seus ovos são extremamente resistentes, suportam temperaturas baixas e elevadas, em solo de preferência úmido e permanecem viáveis por seis meses ou mais. Entretanto, não resistem muito a temperaturas acima de 40ºC e aos raios ultravioleta. Em alguns locais onde existe o hábito de defecar no chão, como em áreas rurais pobres e em alguns bairros miseráveis das periferias das grandes cidades, o solo pode estar extremamente contaminado, podendo ser encontrados dezenas de ovos por grama de terrra. Mãos e unhas sujas de terra, alimentos contaminados pelas mãos, por insetos e até mesmo a poeira levantada pelo vento que pode ser inalada ou vir a contaminar a água e os alimentos, são as principais formas de contágio.;

EpidemiologiaEditar

Apresenta distribuição mundial, mas é mais prevalente nos países pobres e em desenvolvimento nas regiões tropicais do planeta, determinada, principalmente, pelos baixos índices de tratamento da água e dos dejetos humanos nestas regiões. Estima-se que cerca de 25% da população do planeta esteja infectada. As crianças em idade escolar e pré-escolar são as mais acometidas pela doença, pois estão mais frecuentemente em contato com o solo e apresentam hábitos de higiente mais precários. No Brasil, a incidência de ascaridíase é bastante irregular, variando de uma área para outra em uma mesma região, na dependência do acesso ao saneamento básico.

PatogêneseEditar

Os ovos são deglutidos e chegam até o intestino, onde se dá a eclosão e a liberação das larvas. Estas, então, atravessam ativamente a parede intestinal, caem na corrente sanguínea, ganham o sistema porta intra-hepático, veia cava inferior e atingem o coração direito. Os vasos linfáticos abdominais também, podem servir de acesso às larvas, que através do ducto torácico alcançam a veia cava superior e o coração, de onde são levadas aos pulmões. Nos pulmões, as larvas rompem a parede alveolar e juntamente com as secreções brônquicas são expectoradas e deglutidas para novamente atingirem a luz intestinoioiuijji

Quadro clínicoEditar

Na maior parte das vezes, a infecção é assintomática. Em crianças com parasitismo intenso, a anemia, a desnutrição, o retardo do crescimento e a distensão abdominal são achados comuns. Outras queixas também asociadas a ascaridíase em crianças são o sono intranquilo e o hábito de ranger os dentes à noite.

Manifestações PulmonaresEditar

A passagem de larvas pelos pulmões pode desencadear um quadro de pneumonite, conhecido como Síndrome de Löffler. As crianças são as mais afetadas. Tosse, febre baixa e dispneia são sintomas comuns, assemelhando-se a uma crise de asma. Estertores, roncos e sibilos poderão ser ouvidos à ausculta pulmonar. A radiografia de tórax pode revelar infiltrados intersticiais difusos ou mistos, uni ou bilaterais.

Manifestações GastrintestinaisEditar

Dor abdominal, náuseas, borborigmo, diarreia e alterações do apetite podem estar presentes. Tais sintomas são comuns a outras parasitoses intestinais e a muitas doenças do aparéelo digestivo, como as doenças dispépticas, a síndrome do cólon irritable e as diarreias funcionais, sendo necessário  estabeler o diagnóstico diferencial.

Manifestações ectópicasEditar

Não raramente, vermes adultos são eliminados pela boca e pelo ânus. Em alguns casos, podem obstruir o colédoco e levar à colecistite e à icterícia, assim como obstruir o canal pancreático e desencadear pancreatite aguda. Podem também ascender até o fígado e formar abscesso hepático. Este comportamento migratório do A. Lumbricoides ainda não é bem elucidado, mas probablemente o uso de determinados medicamentos, até mesmo anti-helmínticos, e alguns alimentos parecem irritar o verme. Outras localizações ectópicas raras são a trompa de Eustáquio e o ouvido médio, o canal lacrimal, as vias aéreas pulmonares, as vias urinárias e o cérebro.

Oclusão intestinalEditar

Ascariasis-post-surgical.jpg

Obstrução intestinal por Ascaria - fonte: healthwise-everythinghealth.com

Os quadros suboclusivos e oclusivos são mais frecuentes em crianças abaixo de cinco anos de idade. Quase metade das ocorrências é registrada em crianças até dois anos. Os vermes adultos se enovelam dentro da luz do intestino delgado, e provocam a parada de eliminação de gases e fezes, vômitos fecaloides, dor intensa, distensão abdominal e íleo paralítico. O bolo de áscaris forma uma massa, que em muitos casos pode ser palpada e até mesmo visualizada, principalmente, na região periumbilical e no hipocôndrio direito. A intensidade dos vômitos, associada à dificuldade de ingestão de alimentos, provoca desidratação. Necrose de alça, ruptura intestinal e peritonite podem ocorrer, apresentando prognóstico reservado. A demora em procurar o serviço médico, bem como o atraso da instituição do tratamento cirúrgico, são fatores que influenciam para uma evolução desfavorável. A radiografia simples do abdômen normalmente revela níveis líquidos e distensão de alças intestinais. Muitas vezes, a imagem do novelo de áscaris é identificada, sembrando o aspecto de “miolo de pão”. Hemograma completo, perfil de eletrólitos, gasometria arterial e glicemia podem ser úteis para orientar as medidas de suporte ao paciente.

DiagnósticoEditar

O diagnóstico poderá ser difícil, principalmente em indivíduos adultos e com pouco número de parasitos. Além das características clínicas, o diagnóstico laboratorial pode ser feito através de:

Hemograma Completo – a eosinofilia é a alteração mais frecuente. Anemia hipocrômica e macrocítica pode estar presente em pacientes com carga parasitária elevada, principalmente em crianças.

EPF – os ovos dos áscaris são pesados; desta maneira, os métodos de sedimentação são os mais indicados no diagnóstico da ascaridíase, como o de Hoffman (Lutz) e o de Kato. A identificação é feita fácilmente quando se observa o sedimento microscópio. Os ovos também podem ser identificados pelo método a fresco com lugol.

Exames radiológicos – a radiografia de tórax pode demonstrar infiltrados intersticiais e mistos em pacientes com manifestações pulmonares, embora não exista um padrão radiológico característico. Nos cuadros oclusivos intestinais, a radiografia simples de abdômen, com o paciente em pé, evidencia distensão de alças intestinais e níveis hidroaéreos. O uso de contraste de bário facilita a identificação do bolo de áscaris.

TratamentoEditar

Levamisol

É a droga de escolha para o tratamento da ascaridíase.

·         Apresentação: comprimidos com 150 e 80 mg. Índice de cura: 95%.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l3 level1 lfo1">·         Efeitos adversos: pouco expresivos – náuseas, mal estar e cefaleia. Não existe uma contraindicação formal, podendo ser utilizada na gravidez.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpLast" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l3 level1 lfo1">·         Posologia: Adultos – 150 mg em dose única; crianças até um ano – 40 mg em dose única; crianças de um a sete anos – 80 mg em dose única.</p> <p class="MsoNormal">Mebendazol</p> <p class="MsoNormal">Segunda opção no tratamento da ascaridíase. Apresenta atividade também em outras helmintíases como na tricuríase, na enterobíase e na ancilostomíase, sendo útil em pacientes poliparasitados.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpFirst" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l0 level1 lfo2">·         Apresentação: comprimido de 100 mg e suspensão com 100 mg/5 ml.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l0 level1 lfo2">·         Índice de cura: 70% a 90%.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l0 level1 lfo2">·         Efeitos adversos: pouco expresivos – náusea.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpLast" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l0 level1 lfo2">·         Posologia: 1 comprimido ou 5ml de suspensão a cada 12 horas, durante três dias (adultos e crianças).</p> Albendazol <p class="MsoNormal" style="margin-left:18.0pt">Terceira opção no tratamento da ascaridíase, tendo como vantagem poder ser usada em dose única.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpFirst" style="margin-left:54.0pt;mso-add-space: auto;text-indent:-18.0pt;mso-list:l2 level1 lfo3">·         Apresentação: comprimido de 400 mg e suspensão de 400 mg/10 ml.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="margin-left:54.0pt;mso-add-space: auto;text-indent:-18.0pt;mso-list:l2 level1 lfo3">·         Índice de cura: 70% a 80%.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="margin-left:54.0pt;mso-add-space: auto;text-indent:-18.0pt;mso-list:l2 level1 lfo3">·         Efeitos adversos: tonteira, náusea e diarreia.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpLast" style="margin-left:54.0pt;mso-add-space:auto; text-indent:-18.0pt;mso-list:l2 level1 lfo3">·         Posologia: 1 comprimido de 400 mg ou 10 ml de suspensão em dose única (adultos e crianças acima de dois anos de idade).</p> <p class="MsoNormal"> </p> <p class="MsoNormal">Nitazoxanida</p> <p class="MsoNormal">É utilizada em crianças de um a três anos n adose de 100 mg, de 12/12 horas, sendo o tratamento mantido por três dias. Em crianças mayores e adultos, a dose é de 500 mg, duas vezes ao dia, por três dias.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpFirst" style="text-indent:-18.0pt;mso-list:l1 level1 lfo4">·         Observações:</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="margin-left:72.0pt;mso-add-space: auto;text-indent:-18.0pt;mso-list:l4 level1 lfo5">1.    O mebendazol e o albendazol não devem ser usados em gestantes, pois são embriotóxicos e teratogénicos; não se conhece a segurança da nitazoxanida em gestantes.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpMiddle" style="margin-left:72.0pt;mso-add-space: auto;text-indent:-18.0pt;mso-list:l4 level1 lfo5">2.    As doses recomendadas dos anti-helmínticos poderão ser repetidas dez a 15 dias depois, pois os medicamentos só agem na luz intestinal. Não têm atividade sobre as formas labrarías que porventura estejam fazendo o ciclo hepático e pulmonar.</p> <p class="MsoListParagraphCxSpLast" style="margin-left:72.0pt;mso-add-space:auto; text-indent:-18.0pt;mso-list:l4 level1 lfo5">3.    O controle de cura poderá ser feito através do exame de Hoffman no 7º, 14º e 21º dias após o tratamento.</p>

ProfilaxiaEditar

<p class="MsoNormal">Estimular o uso de sanitários. Manter as crianças com as unhas aparadas e limpas, evitando que brinquem na terra. Estimular o uso de calçados. Lavar as mãos antes de manipular alimentos, após ir ao banheiro e antes das refeições. Manter a casa e o peridomicílio sempre limpos, dando destino adequado ao lixo. Evitar deixar alimentos expostos. Verduras e frutas devem ser lavadas antes de consumidas. Fazer uso apenas de água tratada ou previamente clorada. Controlar o número de insetos, como baratas ou moscas. Tratar adecuadamente os casos suspeitos, utilizando, sempre que possível, o exame parasicológico de fezes na investigação.</p>

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória